Audiência pública da Educação escancara falta de diálogo entre governo e servidores

A categoria fica refém de um telefone-sem-fio entre secretaria e servidores que gera insatisfação, desorientação e até prejuízos



Muitas dúvidas dos professores e agentes educacionais municipais de Araraquara foram tiradas, ontem, 8, durante a audiência pública realizada na Câmara Municipal para debater mudanças no PCCV da Educação.

Porém, além das mudanças previstas no Projeto de Lei 164/22, o grande assunto da audiência foi a desorganização na comunicação entre secretaria da Educação e os servidores.

A falta de diálogo do governo com a categoria, denunciada inúmeras vezes pelo SISMAR, ficou muito clara a partir das questões feitas pelo Sindicato e pelos professores presentes e pelas reações e respostas da secretária Municipal da Educação, Clélia Mara dos Santos.

Expressões como “ampliação das atribuições” e situações que vão valer para novos servidores, mas não para os atuais, geraram muitas dúvidas entre os professores e agentes e essas dúvidas não foram devidamente esclarecidas nas unidades escolares. Pelo contrário, as respostas aos questionamentos do projeto vindas de dentro das escolas criaram uma onda de desinformação. E a desinformação não é somente sobre este projeto em si: muitas dúvidas trazidas à audiência não tinham relação com o projeto e, de acordo com a vereadora Luna Meyer, que presidiu a audiência, estas dúvidas serão respondidas pela secretaria da Educação por escrito.

A constatação de que a estratégia de comunicação da secretaria não está funcionando foi da própria Clélia. “As informações não estão chegando corretamente até vocês, vamos precisar rever este processo”, afirmou a secretária.

Além da Clélia, da secretária de Justiça, Maria Amália, e da dirigente do SISMAR Bernadete Couto, fizeram uso da palavra a professora Andreia Veronesi e os professores Ederson Diego e Isaac.


As explicações da secretária da Educação serviram para tirar a maioria das dúvidas a respeito do projeto de lei, entretanto, a redação do projeto, na visão do SISMAR, ainda tem pontos que geram dúvidas e que poderiam ser redigidos mais claramente.

A audiência pública foi transmitida ao vivo pela internet e está disponível na íntegra neste link: https://www.youtube.com/watch?v=RBnDPaLqIhg

Independentemente das explicações do governo, o SISMAR está acompanhando a tramitação do projeto de lei e vai ficar atento para impedir quaisquer tentativas de retirada ou redução de direitos dos servidores, mesmo os que ainda serão contratados.

297 visualizações0 comentário