top of page

Falta de funcionários no Daae pode interromper fornecimento de água

Além de trabalharem no limite, servidores ficaram sem receber pelas horas extras que foram obrigados a fazer para não prejudicar a cidade



Apenas quatro servidores se revezam dia e noite, apenas um em cada turno, no Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Araraquara (Daae) para regular o fornecimento e o abastecimento de água de toda a cidade, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Trata-se do Centro de Controle Operacional, uma sala com monitores e comandos de onde é controlado todo o fluxo de água dos reservatórios e poços da cidade para equilibrar a distribuição de toda a água e garantir o abastecimento contínuo em cada casa, em cada bairro.

Em outras palavras, é o setor que garante a água na torneira da população. Os servidores que prestam serviço ali trabalham no limite, sozinhos e sem substitutos. Se um deles adoecer, ou tiver algum problema que o impeça de ir trabalhar, o setor ficará vazio, sem ter quem faça o controle da água. Nestes casos, o Daae tem sido obrigado a improvisar, pois o trabalho no Centro de Controle não pode parar.

Como se não bastasse, a chefia do Daae perdeu o prazo para explicar as horas extras que foram necessárias e os servidores ficarão sem receber as horas este mês. Trabalharam além da jornada e não vão receber por isso. Ou melhor, vão receber, mas só no outro mês, por inoperância dos gestores.

Infelizmente, esse tipo de problema não é surpresa para nós e para quem acompanha o SISMAR. Há anos, o Sindicato vem alertando para o processo de sucateamento do Daae com a finalidade de privatizá-lo. Partes sensíveis da autarquia já foram terceirizadas e o serviço tem piorado dia a dia.

135 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page