AGENDA.png
TRANSPARENCIA.png

- Américo Brasiliense

- Araraquara

- Boa Esperança do Sul

- Gavião Peixoto

- Motuca

- Nova Europa

- Ribeirão Bonito

- Santa Lúcia

- Trabiju

SISMAR - Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região

 

Américo Brasiliense, Araraquara, Boa Esperança do Sul, Gavião Peixoto, Motuca, Nova Europa, Ribeirão Bonito, Santa Lúcia e Trabiju


Rua Gonçalves Dias, 970 - Centro - Araraquara/SP

Central de informações: (16) 3335-9909

e-mail: contato@sismar.org.br

Servidores municipais aprovam adesão à greve nacional do dia 18 de março

Assembleia contou com participação de diversas entidades sindicais para explicar o desmonte do serviço público que está em andamento no Palácio do Planalto



Trabalhadores de todo o Brasil farão uma greve geral no dia 18 de março contra o desmonte dos serviços públicos e os servidores municipais de Araraquara e região participarão do movimento. A decisão de aderir à greve foi tomada ontem, dia 9, em assembleia realizada na Biblioteca Municipal.


A greve geral nacional programada para o dia 18 de março é um movimento de todos os trabalhadores do País contra uma série de medidas do governo que vão destruir os serviços públicos como nós o conhecemos (são pelo menos três Propostas de Emenda à Constituição PEC que estão em debate e têm potencial destrutivo).


As PECs 186 e 188 de 2019 e a PEC 438/18, juntas, significam derrotas gigantescas para o funcionalismo público federal, estadual e municipal, como:


  • FIM do reajuste anual de salários

  • FIM das progressões na carreira, inclusive por tempo de serviço

  • REDUÇÃO de salários em 25% com redução da jornada

  • FIM da estabilidade no serviço público

  • AUMENTO do período probatório para 10 anos


Junte-se a isso o fato de o Congresso Nacional já ter aprovado lei permitindo terceirização irrestrita, a reforma da previdência e a reforma trabalhista e temos um cenário no qual o serviço público desaparece e surgem empresas lucrando em cima do sofrimento dos trabalhadores.


E se engana quem pensa que isso é combater privilégios. Essas propostas não atingem quem ganha os maiores salários: a cúpula do judiciário, do Ministério Público e das Forças Armadas. Arroxo, redução de salário e de jornada atingem principalmente quem atende a população trabalhadora nos hospitais, unidades básicas de saúde, escolas e creches.


Com servidores trabalhando 25% menos horas, o atendimento também será 25% menor. Imagine reduzir em 25% a carga horária de professores, médicos, enfermeiros, fiscalização sanitária, ambiental. Sabemos que o atendimento no serviço público precisa melhorar, mas isso se faz com investimento, treinamento e valorização, e não com sucateamento.


Os verdadeiros privilegiados são os grandes empresários. Enquanto o governo retira direitos e exige cada vez mais sacrifícios dos trabalhadores, o número de empresários milionários cresceu no Brasil no ano passado.


Por todos estes motivos, os servidores municipais de Araraquara e região apoiarão e participarão da greve geral nacional do dia 18 de março. Nós, do SISMAR, convocamos todos os trabalhadores do Brasil a fazerem o mesmo.


Além dos dirigentes do SISMAR, também participaram da assembleia dirigentes da Apeoesp, da CUT e da CSP Conlutas.