SISMAR faz assembleia com servidores da educação sobre volta às aulas

Atualizado: Abr 3

Participe da assembleia neste link: https://www.facebook.com/sismar.org/live Nem toda escola tem condições e não há EPIs adequados em quantidade suficiente. Prefeitura e Secretaria de Educação querem mandar servidores e alunos para o matadouro?



Alguém em sã consciência consegue enxergar que seja razoável o retorno presencial dos profissionais da Educação neste momento da pandemia? Pois a Prefeitura de Araraquara consegue e decidiu chamar os profissionais da Educação para retorno às atividades presenciais já a partir de segunda-feira.


Diante dessa decisão absurda da Administração, o SISMAR convoca todos os servidores da Educação para uma assembleia virtual emergencial neste sábado, dia 3 de abril, às 10 horas da manhã, no facebook do SISMAR (www.facebook.com/sismar.org/live), para que a categoria possa discutir a determinação da Prefeitura e possa decidir até mesmo entrar em greve, se for da vontade dos servidores, por questões sanitárias.


De acordo com dados do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho), em todo o ano de 2020, a Secretaria de Educação registrou 42 atestados por sintomas de Covid-19. Já em 2021, apenas até o dia 10 de fevereiro, já tinham sido registrados 131 atestados na Secretaria da Educação pelos mesmos sintomas.


Cabe lembrar que em 2020, a Educação trabalhou quase todo o tempo à distância, enquanto em 2021, os profissionais tiveram que ir cumprir jornada nas escolas, ainda que sem alunos.


Em pesquisa informal, o SISMAR detectou pelo mesmo 35 familiares de alunos contaminados com covid, entre 8 de fevereiro e 26 de março, sendo que seis deles morreram.


Só ontem, o Brasil contabilizou 3.950 mortes por covid-19. Recorde brasileiro e mundial. A ocupação dos leitos em todo o país e especialmente no estado de São Paulo está perto dos 100%. Pessoas da nossa cidade e da nossa região morreram esperando leitos. É, de longe, a pior crise sanitária da história do Brasil e ela está no seu pior momento.


A própria Prefeitura reconhece os riscos de aumentar a circulação de pessoas na cidade, tanto que fez lockdown e agora fechou até as entradas da cidade.


Não há, portanto, nenhuma condição de retorno presencial agora. E ponto.


De onde foi que a Secretaria da Educação tirou que agora é o momento de os profissionais da educação retornarem presencialmente às unidades? Desafiamos a secretária a nos apresentar algum relatório ou algum documento, assinado por cientistas, que defenda o retorno presencial neste momento.


Porque, na assembleia, nós vamos mostrar estudos e mais estudos, palavras de especialistas e pesquisas científicas provando que o retorno presencial vai causar adoecimento dos servidores, de suas famílias e da comunidade em geral e alguns deles vão morrer por causa disso. A saúde e a vida das pessoas são mais importantes do que todo o restante.


Compareça à assembleia e venha dar sua opinião. Sua presença é fundamental para que possamos resistir à essa medida draconiana.

206 visualizações0 comentário