Prefeitura de Araraquara exclui servidores da bonificação covid e revolta categoria

Na UPA Central, por exemplo, apenas quem atua na pediatria vai receber; servidores dos postos de saúde, SAMU e da UPA do Vale Verde ficaram de fora



Os servidores municipais da Saúde de Araraquara estão revoltados com o decreto 12.529/21, publicado pela Prefeitura nesta segunda-feira, 29, estipulando os parâmetros para o pagamento da bonificação Covid para os servidores da linha de frente no combate e enfrentamento da pandemia de Covid-19.


O problema é que a Prefeitura deixou de fora da bonificação todos os servidores que atuam nos postos de saúde, no SAMU, na UPA do Vale Verde e a maioria dos que atuam na UPA Central. Pelo decreto, só devem receber a bonificação os servidores que trabalham no Hospital da Solidariedade, na UPA da Vila, na unidade de estabilização do Melhado e na pediatria da UPA Central.


Pelo jeito, a Prefeitura não conhece a realidade dos postos de saúde, nem das demais unidades, porque todas elas recebem pacientes com covid-19 e são obrigadas a atendê-los, mesmo sem as condições adequadas.


Ao determinar o pagamento com tais condições, a Prefeitura fecha os olhos para a categoria que carrega a crise sanitária nas costas há um ano. Postos de saúde, como os CMS do Melhado, do Selmi Dei 1 e do CECAP, por exemplo, são polos de Covid-19, outros estão com horário estendido para atender Covid-19, e recebem diariamente pacientes suspeitos e confirmados, para testes e acompanhamento. Nas UPA, então, nem se fala. Ou alguém acredita que pacientes com Covid-19 não procuram as UPAS Central e do Vale Verde?


Os servidores que atuam nestas unidades também estão diariamente expostos ao risco. Negar isso, é negar a verdade dos fatos.

Se, por um lado, a Prefeitura reconhece a emergência da situação e decreta corretamente lockdown, por outro, ela deixa de reconhecer a importância da dedicação dos servidores da saúde que estão há um ano sem descanso defendendo a vida da população.


Além dos técnicos, enfermeiros, fisioterapeutas, médicos e psicólogos, todos merecedores do nosso reconhecimento, o SISMAR entende que os servidores administrativos, recepcionistas, farmacêuticos, dentistas, auxiliares, ACSs, motoristas e TODOS os demais servidores que atuam nas unidades de saúde municipais (independentemente da função) também devem receber a bonificação, já que fazem parte do grupo de trabalhadores que está na linha de frente no combate à Covid-19 desde março do ano passado.


A bonificação a ser paga será no valor de R$ 47 por hora para servidores horistas ou de R$ 500 mensais para servidores mensalistas com jornada mínima de 6 horas por plantão, conforme estipulado na Lei 10.157/21.


O SISMAR vai cobrar uma posição da Prefeitura em relação ao ocorrido e conta com o apoio e a mobilização da categoria para exigir reconhecimento e valorização de verdade, não só nos discursos.


(editado às 13h10 para incluir que dentistas, auxiliares, ACS e demais servidores das unidades de saúde também devem receber a bonificação - lembrando que eles sempre constaram em nossos pedidos para Prefeitura, só não estavam incluídos neste texto.)

515 visualizações0 comentário