SISMAR denuncia péssimas condições de prédio de CER em Araraquara

Mofo, infiltração, ferrugem, rachaduras e falta de manutenção básica são o retrato do descaso da Secretaria da Educação com a estrutura das unidades de Educação da cidade; creche atende população do Jd Indaiá e arredores



O prédio do CER "Maria Aparecida de Azevedo Bozutti", no Jd. Indaiá, periferia da zona Norte de Araraquara, não tem condições para receber alunos e servidores.

A unidade apresenta mofo nas paredes, infiltração, água pingando do teto três dias após a chuva, sala alagada, ferrugem, rachaduras, evidente falta de manutenção básica, tudo devidamente registrado pela diretoria do SISMAR, que esteve na unidade na manhã desta quarta-feira, 6, a pedido dos servidores.

“A situação da unidade é chocante. Sabíamos que não havia reforma lá há tempos, mas nos assustamos com a aparência de abandono de quase todo o prédio. O risco para servidores e alunos é enorme”, conta Bernadete Couto, professora e dirigente do SISMAR. “Precisamos de uma solução urgente para aquela unidade”, completa.

Diante da gravidade dos fatos, para proteger a saúde e a vida dos servidores e dos alunos, o Sindicato acionará a fiscalização da Gerência Regional do Trabalho e Emprego (GRTE), levará o caso ao conhecimento do Ministério Público do Trabalho (MPT), além, é claro, de comunicar toda a situação para a própria Secretaria Municipal da Educação, para que providências sejam tomadas imediatamente.

A situação da unidade é crítica há pelo menos 3 anos, de acordo com relato dos servidores. A chuva e o vento do último domingo causaram ainda mais estragos. Veja as fotos e vídeo abaixo.



























566 visualizações0 comentário