Luta por salários: com inflação de 17%, servidores municipais exigem reajuste após 2 anos

De 2015 para cá, salário do funcionalismo perdeu 30% do poder de compra; categoria cobra reconhecimento e valorização



Em assembleia realizada na noite desta terça-feira, 25, na sede de campo do SISMAR, os servidores municipais de Araraquara definiram a pauta de reivindicações da campanha salarial deste ano, a data-base 2022. (veja todos os itens da pauta)

O último reajuste da categoria foi em maio de 2019. Nestes quase 3 anos, a inflação ultrapassou os 17% (IPCA). Em outras palavras, o salário de hoje compra 17% menos do que o salário de 2019.

Por isso, o primeiro item da pauta de reivindicações é a reposição deste índice inflacionário. Mas, não só. A categoria também cobra um aumento real de 14% (além dos 17% da inflação), como forma de reposição das perdas anteriores a 2019.

Nos últimos seis anos, os salários dos servidores municipais de Araraquara foram reajustados abaixo da inflação seguidamente, causando um prejuízo superior a 30% no poder de compra. Hoje, o salário do servidor municipal compra 30% menos do que comprava em 2015.

O vale alimentação também foi tema de debate na assembleia. Os servidores pedem o valor de R$ 840 mensais, tendo em vista a maior inflação dos alimentos registrada desde a década de 1990. O valor atual, de R$ 420, é menor do que o custo de uma cesta básica e já não é suficiente para alimentar uma pessoa por um mês inteiro.

O fato é que o piso salarial da Prefeitura é menor do que qualquer outra atividade na cidade e uma quantidade enorme de servidores ganha abaixo do salário mínimo ou muito perto disso. Com a inflação corroendo os salários mês a mês, estes servidores já têm dificuldade de manter alguma dignidade em suas vidas trabalhando para a Prefeitura.

Mesmo quem ganha um pouco mais também já teve que refazer as contas e reduzir despesas mensais porque já não cabem mais no orçamento. Não podemos andar para trás, temos que ser valorizados e respeitados como servidores concursados que carregam a Prefeitura nas costas seja quem for o prefeito. Ainda mais em tempos de pandemia, que demandou e ainda demanda hiper sobrecarga de trabalho, estresse e adoecimentos.

Este ano, a luta será árdua, porque não vamos acumular perdas mais um ano. Sabemos das dificuldades impostas pela pandemia, mas sabemos também que quem faz o serviço público da cidade funcionar somos nós e não o prefeito. Sabemos também que os governos federal e estadual ajudaram financeiramente Araraquara e que a cidade teve aumento de arrecadação durante a pandemia.

Não vamos aceitar mais um ano sem aumento ou com reajuste abaixo da inflação!

Outros municípios da região já concederam reajustes em 2022 para repor o que ficou congelado durante a pandemia, como Gavião Peixoto (15,3% de aumento nos salários, 10,06% no tíquete e mais um abono de R$ 1,5 mil para todos os servidores), Boa Esperança do Sul (10% de aumento nos salários e no tíquete) e Nova Europa (17,54% de aumento nos salários).

Detalhe, o vale alimentação nestas três cidades já era maior do que os R$ 420 de Araraquara, mesmo antes do aumento deste ano: Gavião Peixoto, R$ 793; Boa Esperança do Sul, R$ 500 e Nova Europa, R$ 600.



- Pauta de reivindicações dos Servidores Municipais de Araraquara para a data-base 2022.


01) Revisão Geral Anual da inflação acumulada até a data base/2022 (maio/2019 a abril/2022), de acordo com o índice a ser apurado pelo IPCA (janeiro de 2022 17,38%);


02) Reconhecendo as perdas salariais do funcionalismo, acumuladas de maio/2015 a janeiro/2022 (30,72%), seja instituída pela Administração uma política de reposição de perdas salariais;


03) Reajuste de 14% de ganhos reais nos vencimentos de todos os segmentos da categoria, como forma de valorizar os servidores de carreira e motivar a categoria em busca de melhorias na prestação de serviços;


04) Majoração do Vale-Alimentação para R$ 840,00, em favor de todos os serviços públicos, da Administração direta e indireta;


05) Majoração do Prêmio Assiduidade para R$ 200,00 mensais para todos os servidores;



06) Instituição do "abono natalino" no Vale-Alimentação, a ser pago até 20 de dezembro de cada ano, no valor de 100% do valor do benefício (13° Vale-Alimentação), por meio de lei municipal;


07) Incorporação ao Vale alimentação do prêmio de 120,00.

1.889 visualizações0 comentário