Protesto vitorioso! Edinho diz que vai apresentar nova proposta de reajuste

SISMAR convocará assembleia assim que receber o ofício da Prefeitura; Câmara Municipal intermediou a reabertura do diálogo



Esta foi a primeira vitória da mobilização dos servidores municipais de Araraquara: no fim da tarde desta terça-feira, 19, após mais um dia de protesto e paralisação parcial da categoria, o prefeito Edinho Silva sinalizou que vai retomar o diálogo com o SISMAR e com os servidores para avançar nas negociações da data-base 2022.

Foram 65 dias esperando uma resposta da Prefeitura e mais três semanas de atos, manifestações e paralisações contra a proposta de 5%, culminando no ato de hoje contra o absurdo parcelamento dos 5% em duas vezes.

Como resultado da pressão da categoria (desacreditada por muita gente) e de todos os atores políticos da cidade e de fora dela, e com intermediação da Câmara Municipal de Araraquara, a negociação deverá ser retomada. O prefeito comprometeu-se com o presidente da Casa, Aluísio Braz, o Boi, de enviar nova proposta de reajuste para a categoria.

Assim que o documento da Prefeitura com os novos percentuais for protocolado no SISMAR, o Sindicato convocará uma assembleia geral para a categoria decidir sobre a nova proposta.

A mobilização de hoje foi fundamental para essa vitória. A decisão tomada em assembleia de realizar o ato de hoje se mostrou acertada. A participação de cada servidor que foi até a porta da Câmara e da Prefeitura hoje foi essencial e o apoio dos que não puderam estar lá também foi importante. Isso, nada mais é do que a tão falada “união” da categoria.

Não vamos cair no erro de nos colocarmos uns contra os outros. Podemos ter muitas divergências, mas neste momento somos todos servidores municipais de Araraquara lutando pela mesma causa. Nos dividir é interesse da Administração.

Lembrando que:

- a inflação desde o último reajuste foi de 21,13% (IPCA),

- que a cesta básica em Araraquara custa mais de R$ 900,

- que as finanças da Prefeitura estão se recuperando e

- que precisamos ser valorizados, pois nossa dedicação e nossas inúmeras e irreparáveis perdas nesta pandemia não podem ter sido em vão.

2.019 visualizações0 comentário